Jonas 1:4 - A grande tempestade

וַֽיהוָ֗ה הֵטִ֤יל רֽוּחַ־גְּדוֹלָה֙ אֶל־הַיָּ֔ם וַיְהִ֥י סַֽעַר־גָּד֖וֹל בַּיָּ֑ם וְהָ֣אֳנִיָּ֔ה חִשְּׁבָ֖ה לְהִשָּׁבֵֽר׃

wayhwh hēṭı̂l rûaḥ-gᵉḏôlāh ʾel-hayyām wayᵉhı̂ saʿar-gāḏôl bayyām wᵉhoʾŏnı̂ā ḥiššᵉḇāh lᵉhiššāḇēr:


Vocabulário

Vocábulo Transliteração Classe Frequência no AT Significado
טוּל ṭul verbo 14 × Hiphil: soprar
רוּחַ ruaḥ substantivo 378 × vento
גָּדוֹל gāḏol adjetivo 527 × grande
יָם yām substantivo 396 × mar
הָיָה hāyāh verbo 3.562 × Qal: ser, tornar-se, acontecer
סַעַר sāʿar substantivo 7 × tempestade
אֳנִיָּה ʾŏniyyāh substantivo 31 × barco, embarcação
חָשַׁב ḥāšaḇ verbo 124 × Piel: determinar, planejar, pensar
שָׁבַר šāḇar verbo 148 × Niphal: ser destruído, ser quebrado

Um pouco de gramática

① O verbo principal da oração וַֽיהוָ֗ה הֵטִ֤יל רֽוּחַ־גְּדוֹלָה֙ אֶל־הַיָּ֔ם é הֵטִיל. 

② O sujeito da oração וַֽיהוָ֗ה הֵטִ֤יל רֽוּחַ־גְּדוֹלָה֙ אֶל־הַיָּ֔ם é יהוה. 

O uso da conjunção וְ junto ao nome próprio iniciando a oração indica mudança do sujeito dentro da narrativa.

Note que dois fatores explicam a ênfase sobre o Tetragrammaton nessa seção: 

  • o acento disjuntivo rᵉḇîaʿ ( ֗ ) sobre וַֽיהוָ֗ה;
  • a posição do sujeito antes do verbo principal הֵטִיל.

Note que o sujeito está à frente do verbo principal, indicando um recurso de ênfase sobre יהוה.

③ O verbo principal הֵטִיל tem como objeto direto a frase רוּחַ־גְּדוֹלָה.

Note a relação atributiva do adjetivo גְּדוֹלָה com o substantivo רוּחַ: grande vento…

④ O verbo principal הֵטִיל tem como objeto indireto a frase preposicional אֶל־הַיָּם.

⑤ O verbo principal da oração וַיְהִ֥י סַֽעַר־גָּד֖וֹל בַּיָּ֑ם é וַיְהִי, cujo sujeito é impessoal.

Alternativamente, סַֽעַר pode ser interpretado como o sujeito¹ que rege o verbo wayyqtol וַיְהִי.

Note que o verbo wayyiqtol וַיְהִי introduz uma oração que narra os eventos sucessivos aos que foi dito na oração anterior.

⑥ O verbo principal וַיְהִי tem como objeto direto a frase סַֽעַר־גָּדוֹל.

Note a relação atributiva entre o adjetivo גָּדוֹל e o substantivo סַֽעַר: "grande tempestade…"

⑦ A combinação da preposição בְּ + substantivo יָם expressa ideia locativa: no mar.

⑧ O verbo principal da oração וְהָ֣אֳנִיָּ֔ה חִשְּׁבָ֖ה לְהִשָּׁבֵֽר׃ é חִשְּׁבָה.

⑨ O sujeito da oração וְהָ֣אֳנִיָּ֔ה חִשְּׁבָ֖ה לְהִשָּׁבֵֽר׃ é וְהָ֣אֳנִיָּה. 

Note que dois fatores explicam a ênfase sobre a imagem do barco dentro da tempestade dentro da narrativa (cf. ②):

  • o acento disjuntiva zāqēp qāṭōn ( ֔ ) acima de וְהָ֣אֳנִיָּ֔ה;
  • a posição do sujeito antes do verbo principal חִשְּׁבָה.

⑩ Essa expressão verbal merece atenção. Primeiramente, חִשְּׁבָה é estranhamente associado com אֳנִיָּה, ou seja, o barco estava pensando. É provável que esse verbo é usado em forma de prosopopeia (figura de linguagem), ou seja, o autor atribui ações humanas a objetos ou a animais.

Quanto à estrutura preposição + infinitivo construto (לְהִשָּׁבֵר), após o verbo transitivo principal (חִשְּׁבָה), serve para enfatizar ou complementar a ação do verbo principal. Nesse caso, como os dois verbos são diferentes, שָׁבַר complementa o verbo principal חָשַׁב.

Outra observação importante é que a estrutura verbo transitivo + Niphal intransitivo resulta na voz média, onde o agente é simultaneamente sujeito e objeto da ação. Logo, a expressão pode ser traduzida literalmente como: o barco estava pensando em ser destruído, e de uma forma mais interpretativa como: o barco estava prestes a destruir-se.

Em último lugar, alguns intérpretes vêem nessa expressão um uso onomatopéico, ou seja, quando lido, essa expressão gera um som que se assemelha ao barulho do vento e do agito do mar, tornando a narrativa ainda mais real aos leitores.²

A pontuação sôp pāsûq (׃) marca o fim do versículo.

Tradução

Então Yahweh soprou um grande vento sobre o mar. Uma grande tempestade ocorreu no mar, e o barco estava prestes a ser destruído.

Notas

¹ Ver W.D. Tucker Jr., Jonah: A Handbook on the Hebrew Text (Waco: Baylor University Press, 2006), 19 e R.B. Chisholm, A Workbook for Intermediate Hebrew: Grammar, Exegesis, and Commentary on Jonah and Ruth (Grand Rapids: Kregel, 2006), 267.

² J. Limburg, Jonah: A Commentary. Old Testament Library (Louisville: Westminster/John Knox Press, 1993); J. M. Sasson, Jonah. AB 24B (New York: Doubleday, 1990), 97 e P. Phyllis, Rhetorical Criticism: Context, Method, and the Book of Jonah. Guides to Biblical Scholarship (Minneapolis: Fortress, 1994), 132.

Sobre as acentuações, ver W.R. Scott, A Simplified Guide to BHS: Critical Apparatus, Masora, Accents, Unusual Letters and Other Markings, 3rd. ed. (H.R. Hills: Bibal Press, 1987) e E.F. Francisco, Manual da Bíblia Hebraica: Introdução ao Texto Massorético, Guia Introdutório para a Biblia Hebraica Stuttgartensia, 3ª ed. amp. (São Paulo: Vida Nova, 2008).


Slideshow

Baixe o arquivo do slideshow em formato pdf aqui.

*Esse material tem autor. Ao compartilhá-lo, não se esqueça de citar a fonte.